Rioterra comemora Semana Mundial da Água em escolas de Itapuã do Oeste

Rioterra comemora Semana Mundial da Água em escolas de Itapuã do Oeste

 

Programação inclui atividades lúdicas de conscientização sobre a importância da água junto  a estudante de escolas públicas do ensino infantil .

O Centro de Estudos (CES) Rioterra inicia nesta terça-feira (21 de março) a programação alusiva à Semana Mundial da Água, realizada junto a alunos de escolas públicas de ensino infantil e fundamental do município de Itapuã do Oeste.  A programação faz parte do projeto ‘Semeando Sustentabilidade’, patrocinado pela Petrobras, através do programa Petrobras Socioambiental , e será estendida até a sexta-feira, com expectativa de atender cerca de 600 crianças de quatro a oito anos.

 

“A nossa intenção é sensibilizar a criançada sobre o valor da água e a necessidade de preservar este bem de valor inestimável para todas as pessoas. O evento se insere na filosofia de trabalho da Rioterra, de difundir a ideia de que é preciso cuidar e preservar a natureza para as próximas gerações”, explica o educador ambiental da entidade, biólogo Alexandre Queiroz.

 

A programação  inclui uma série de atividades lúdicas, com informações sobre a formação da água, sua importância, a necessidade de conservação e o  reuso deste bem natural.  As brincadeiras foram selecionadas de acordo com a idade dos pequenos estudantes do primeiro ao terceiro ano das escolas municipais de ensino infantil ‘Cecília Meirelles’ e ‘Sossego da Mamãe’ que participam do trabalho.

0
Ferramenta permite acompanhamento online de recuperação de áreas

Ferramenta permite acompanhamento online de recuperação de áreas

Desenvolvido pelo CES Rioterra, o Sigweb dá transparência ao trabalho realizado pela entidade junto a pequenos agricultores de Rondônia

O Centro de Estudos (CES) Rioterra disponibiliza aqui no site a ferramenta SIGWEB com informações geográficas da área de atuação do projeto ‘Semeando Sustentabilidade’, nos municípios de Cujubim, Rio Crespo e Itapuã do Oeste, no entorno da Floresta Nacional do Jamari, em Rondônia. A ferramenta permite o acompanhamento do trabalho de recuperação de áreas degradadas realizado através do projeto, que é patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental.

“O SIGWEB dá transparência ao trabalho realizado pela Rioterra, porque permite aos produtores e à sociedade de uma forma geral acessarem a qualquer momento as áreas que estão sendo reflorestadas”, explica a coordenadora de Geotecnologias da entidade, Fabiana Barbosa, responsável pela concepção da ferramenta.

Fabiana Barbosa

O ‘Projeto Semeando Sustentabilidade’ é voltado para agricultores familiares com o objetivo de apoiar a regularização ambiental das propriedades a partir da recuperação de áreas degradadas ou alteradas. “Além de melhorarmos os processos de gestão da propriedade, trabalhamos para que o produtor dê passos para diversificar e gerar renda com a implantação de Sistemas Agroflorestais (SAFs), que consorciam o plantio de árvores nativas com frutíferas e outras culturas”, complementa Fabiana. O trabalho facilita o processo de zoneamento das propriedades e a elaboração do Cadastro Ambiental Rural (CAR), que é uma condição indispensável para a regularização de imóveis rurais.

A ferramenta Sigweb permite aos internautas e particularmente aos agricultores que participam do ‘Semeando Sustentabilidade’ conferirem os resultados das ações de reflorestamento e acessarem uma série de dados das áreas trabalhadas, como os nomes dos proprietários dos lotes, as medidas e a localização dos mesmos, entre outras informações. A ferramenta também disponibiliza o traçado de estradas e rodovias, corpos de água e as unidades de conservação da área de atuação do projeto.

Os dad
os produzidos em campo e por meio da análise de imagens de satélite no laboratório do CES RIOTERRA são constantemente incorporados ao SIGWEB. A possibilidade de interação que o sistema disponibiliza por meio de camadas, ferramentas de medição, entre outras, permite que o usuário utilize as diversas informações contidas na plataforma de forma integrada ou de acordo com o interesse da consulta.

O Sigweb é alimentado com imagens de diversos satélites disponibilizados pelo Google Earth.

Clique na imagem abaixo para acessar o SIGWEB.

0
CACAU CLONAL – ALTA PRODUTIVIDADE E RENDA

CACAU CLONAL – ALTA PRODUTIVIDADE E RENDA

O Centro de Estudos Rioterra em parceria com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira – CEPLAC realizou nos dias 21 e 22 de junho 2016, intercâmbio em Ouro Preto do Oeste, no qual participaram agricultores familiares e técnicos beneficiários do Projeto “Semeando Sustentabilidade”, patrocinado pela Petrobras através do programa Petrobras Socioambiental.

O objetivo principal do evento foi demonstrar aos agricultores as várias possibilidades de aumento da produção e renda em área relativamente pequenas, através da produção do cacau clonal.

Durante visita à Estação Experimental da CEPLAC, os participantes conheceram todo o processo de desenvolvimento da cultura. No viveiro, receberam informações sobre metodologias de germinação e crescimento, além de demonstração do processo de clonagem do cacau a partir da técnica de enxertia, método de fácil replicação pelo agricultor.

Em unidades demonstrativas dentro da Estação, os agricultores e técnicos puderam observar alguns modelos de Sistemas Agroflorestais formados por cacau clonal associado a outras essências florestais.

Em uma propriedade com cacau clonal implantado a 11 anos, os participantes receberam explicações sobre técnicas de plantio, sombreamento e poda do cacau, além de informações sobre produtividade e possibilidades de agregação de valor e geração de renda com produtos derivados como chocolate, doces, trufas, entre outros.

A partir deste intercâmbio, o Centro de Estudos Rioterra, irá identificar agricultores que possam ter suas propriedades jardins clonais, áreas que funcionarão como produtores de matrizes de cacau clonal para o atendimento dos demais agricultores da região.

Está previsto ainda, um curso sobre técnicas de clonagem de cacau. Este curso será realizado no Viveiro Municipal de Itapuã do Oeste e terá como beneficiários, agricultores familiares dos municípios de Itapuã do Oeste, Cujubim e Rio Crespo.

 

0
GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL PARTICIPA DE AULA DE CAMPO SOBRE USO E OCUPAÇÃO DO ESPAÇO AMAZÔNICO

GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL PARTICIPA DE AULA DE CAMPO SOBRE USO E OCUPAÇÃO DO ESPAÇO AMAZÔNICO

Acadêmicos do curso de Geografia da Universidade Federal de Rondônia participaram no dia 13 de junho, de visita ao Projeto “Semeando Sustentabilidade”, patrocinado pela Petrobras através do programa Petrobras Socioambiental, no qual conheceram diversas ações que o projeto tem realizado em prol do desenvolvimento da agricultura familiar e conservação da Amazônia, nos municípios de Itapuã do Oeste, Cujubim e Rio Crespo. foto fb 3

A atividade teve início na Floresta Nacional (FLONA) do Jamari, unidade de conservação federal gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade/ICMBio,  onde os alunos percorreram a trilha da “Pedra Grande” e discutiram temas como formação e aptidão de solo para agricultura, disponibilização de nutrientes no solo, desenvolvimento regional de cadeias produtivas florestais e a maneira como esses assuntos impactam diretamente aspectos ligados às mudanças climáticas e conservação de  biodiversidade.

Em seguida os alunos visitaram o Viveiro Municipal de Itapuã do Oeste, espaço gerido pelo CES Rioterra, instituição executora do projeto, em parceria com a prefeitura do município. Durante a visita, conheceram o processo de produção de mudas desde a germinação até o processo de doação aos agricultores beneficiários do projeto.

Ao final, seguiram para uma propriedade rural beneficiada há cinco anos pelo projeto com a implantação de um sistema agroflorestal voltado à recuperação de áreas. Foram discutidos os processos de recuperação de áreas degradadas e sua importância para propiciar o retorno de funções ecológicas como reestruturação de solo, absorção de carbono, ciclagem de água, contenção de erosões e conservação de biodiversidade.

“É importante que estes acadêmicos entendam essa relação entre solo, floresta e objetivos de ocupação, pois é fundamental para o planejamento das diversas atividades voltadas para o uso da terra, a exemplo das atividades econômicas ligadas à agricultura familiar. Com esse tipo de debate ele podem refletir sobre o espaço amazônico com maior profundidade e futuramente, ampliar a atuação técnica e política regional para que tenhamos justiça social aliada a conservação”, disse Alexandre Queiroz, educador do CES Rioterra.

 

foto fb 2

0
SEMEANDO SUSTENTABILIDADE É TEMA DE EVENTO EDUCACIONAL

SEMEANDO SUSTENTABILIDADE É TEMA DE EVENTO EDUCACIONAL

Foi realizada na última quarta-feira (8), o evento “Ação Cidadã, Todos por um Bem Comum” promovido pela Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental de Rondônia – CIEARO, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, ocorrido na Praça Aluízio Ferreira.foto 3

Além do Centro de Estudos Rioterra, que apresentou o projeto “Semeando Sustentabilidade”, patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental, instituições como as associações locais, faculdades e a Secretaria de Desenvolvimento Ambiental do Estado de Rondônia/SEDAM participaram da celebração expondo seus trabalhos em prol da conservação do meio ambiente. Dentre as atividades, foram realizadas mostra de fotos e exposição de sementes. Os presentes aprenderam técnicas de agroecologia, como por exemplo fazer defensivos naturais. Também houve doação de mudas florestais, frutíferas e de horticultura.

Durante a exposição, diversas pessoas puderam conhecer as ações desenvolvidas através do projeto Semeando Sustentabilidade nos municípios de Itapuã do Oeste, Cujubim e Rio Crespo voltadas ao fortalecimento da agricultura familiar e conservação da Amazônia, como atividades de fortalecimento do capital social e regularização ambiental de propriedades rurais.

“É muito importante mostrar para as pessoas a existência de práticas sustentáveis que podem ser utilizadas tanto na área urbana como na rural, como implantação de hortas e lavouras em espaços reduzidos de área, utilizando técnicas agroecológicas, a exemplo da demonstração sobre defensivos naturais durante a exposição”, ressaltou Alexandre Queiroz, educador da CES Rioterra.

foto 2

 

foto 1

2
Projeto Semeando Sustentabilidade promove implantação de hortas comunitárias em Itapuã do Oeste

Projeto Semeando Sustentabilidade promove implantação de hortas comunitárias em Itapuã do Oeste

Entre os vários benefícios da criação de hortas comunitárias e urbanas está a inserção econômica de famílias em situação de vulnerabilidade social, geração de renda, redução de gastos, segurança alimentar e melhoria da qualidade nutricional. Pensando nessas e em outras questões, o projeto Semeando Sustentabilidade, patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental, e executado pelo Centro de Estudos Rioterra, tem promovido ações de estímulo a implantação de hortas no município de Itapuã do Oeste (RO).

No último sábado (14), em reunião pública, foi apresentada a Horta Comunitária do Viveiro Municipal de Itapuã do Oeste. A ação envolverá mulheres desempregadas e com filhos ainda pequenos, para promover o empoderamento feminino e o desenvolvimento econômico de famílias em situação de risco.

“As mulheres se mostraram empolgadas com a oportunidade e já temos 25 participantes confirmadas para o curso de capacitação e construção da horta, programado para junho”, comentou Janaína Alves, do setor Educação do CES Rioterra.

“Eu tenho uma horta e quero muito fazer esse curso para melhorar e expandir minha produção, e participar desse projeto que pode ajudar muita gente”, disse Marinês Ramos Nascimento, .

Outra ação, nos dias 12 e 13 de maio, na Escolha Municipal de Ensino Fundamental Cecília Meirelles, na Linha B40, área rural do município, envolveu alunos, professores, funcionários da escola e pais dos estudantes na finalização da horta comunitária local.

“Esta é a segunda etapa da ação. Na primeira construímos os canteiros e os enchemos com terra adubada. Agora fizemos a semeadura de couve, alface, rúcula, salsa, coentro, maxixe, pimenta e abóbora. Daqui pra frente, pais e servidores serão responsáveis por cuidar da horta e nós faremos a orientação e assistência técnica”, explicou Alexandre Queiroz, do Setor Educação do CES Rioterra.

“A ação ajudou a enriquecer as práticas educativas mostrando como se produz os alimentos e sua importância nutricional. E a horta funcionando vai melhorar o cardápio da merenda com verduras e legumes frescos”, destacou Luciana Monteiro da Silva, diretora da Escola.

 

AI:  Malu Calixto

0