RIOTERRA DILVUGA TÉCNICAS AGROECOLÓGICAS EM RONDÔNIA

RIOTERRA DILVUGA TÉCNICAS AGROECOLÓGICAS EM RONDÔNIA


Democratização do acesso à informação para os agricultores familiares atendidos pelo projeto ‘Semeando Sustentabilidade’.

A agricultura brasileira é fortemente voltada ao agronegócio. Contudo, os agricultores familiares da região norte, vivem em um cenário de grandes dificuldades e desafios no que tange produzir com rentabilidade em solos tropicais e ainda, evitar avanços sobre a floresta. Diante deste cenário muitos deles tem procurado a adoção de técnicas agroecológicas.

Essa não é uma mudança fácil, pois é necessário mudar uma cultura de produção extremamente arraigada.  O CES Rioterra, executora do projeto Semeando Sustentabilidade patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental, tem trabalhado para disseminar tais práticas entre os pequenos produtores. O trabalho exige muita dedicação dos setores de Educação e Comunicação do Centro, responsáveis por criar meios que tornem acessíveis tais informações, mesmo para aqueles que vivem em locais remotos, com fracos aparatos de comunicação.

Alexandre Rotuno – Coordenador de Comunicação do CES Rioterra

“A busca por melhorias nesse tipo de trabalho é constante. Sempre nos perguntamos se os textos estão com uma linguagem simples, se os assuntos abordados são, de fato, interessantes para os beneficiários, se os materiais produzidos chegarão aos lugares mais longínquos e se estão bem ilustrados. Tudo isso para torna-los mais agradáveis e de fácil entendimento ao público que atendemos”, explica o coordenador de Comunicação da Rioterra, Alexandre Rotuno.

 

O Coordenador de Programas da Rioterra, Alexis Bastos, ressalta que “um dos principais objetivos do CES Rioterra – OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), criada em 1999 em Porto Velho – é democratizar o acesso à informação e fortalecer a identidade amazônica, pois ao criar o sentimento de identidade e pertencimento ao lugar, conseguimos avanços em nossa missão, aliando a parte produtiva à conservação da floresta”.

 

0