O associativismo como importante ferramenta para o desenvolvimento da agricultura familiar em RO

O associativismo como importante ferramenta para o desenvolvimento da agricultura familiar em RO

Muitas comunidades da Amazônia são representadas pela agricultura familiar, a exemplo de extrativistas, pescadores, indígenas, quilombolas, produtores agropecuários, entre outros, onde o núcleo familiar é responsável pela gestão e mão de obra das atividades realizadas. Dentro desse contexto, muitas comunidades enfrentam dificuldades em lutar por direitos básicos, como melhores condições de acesso à saúde e educação, além de reivindicar infraestrutura para escoamento da produção e melhores preços de mercado. Sindicatos, associações e cooperativas são exemplo de organizações sociais que podem ser a grande alternativa para que esses grupos tenham maior expressão social, política e econômica.

O fortalecimento do associativismo, ou seja, desses grupos de pessoas que se organizam para atuar na em prol da garantia de direitos coletivos é um dos objetivos do projeto Semeando Sustentabilidade, realizado pelo CES Rioterra com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental.

O setor de Educação é o responsável por promover assessoria, cursos e intercâmbio sobre a temática aos agricultores atendidos pelo projeto. “A organização social entra como um intermediário no planejamento daquela comunidade, seja com relação à produção ou qualquer outra problemática coletiva, numa forma de se fortalecerem econômica e socialmente na busca por políticas públicas que o representam” explica Alexandre Queiroz, coordenador de Educação do CES Rioterra.

Os agricultores das cidades de Porto Velho, Candeias do Jamari, Itapuã do Oeste, Cujubim e Rio Crespo que aderem ao projeto Semeando e já estão organizados coletivamente têm acesso a assessoria jurídica, técnica e financeira para que se empoderem e busquem meios  de  desenvolver econômica e socialmente as localidades onde estão inseridas.

Uma vez fortalecidas, as organizações sociais promovem a melhora da qualidade de vida dos agricultores, fortalecem o setor e participam ativamente da construção de políticas públicas.

0