Ferramenta permite acompanhamento online de recuperação de áreas

Ferramenta permite acompanhamento online de recuperação de áreas

Desenvolvido pelo CES Rioterra, o Sigweb dá transparência ao trabalho realizado pela entidade junto a pequenos agricultores de Rondônia

O Centro de Estudos (CES) Rioterra disponibiliza aqui no site a ferramenta SIGWEB com informações geográficas da área de atuação do projeto ‘Semeando Sustentabilidade’, nos municípios de Cujubim, Rio Crespo e Itapuã do Oeste, no entorno da Floresta Nacional do Jamari, em Rondônia. A ferramenta permite o acompanhamento do trabalho de recuperação de áreas degradadas realizado através do projeto, que é patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental.

“O SIGWEB dá transparência ao trabalho realizado pela Rioterra, porque permite aos produtores e à sociedade de uma forma geral acessarem a qualquer momento as áreas que estão sendo reflorestadas”, explica a coordenadora de Geotecnologias da entidade, Fabiana Barbosa, responsável pela concepção da ferramenta.

Fabiana Barbosa

O ‘Projeto Semeando Sustentabilidade’ é voltado para agricultores familiares com o objetivo de apoiar a regularização ambiental das propriedades a partir da recuperação de áreas degradadas ou alteradas. “Além de melhorarmos os processos de gestão da propriedade, trabalhamos para que o produtor dê passos para diversificar e gerar renda com a implantação de Sistemas Agroflorestais (SAFs), que consorciam o plantio de árvores nativas com frutíferas e outras culturas”, complementa Fabiana. O trabalho facilita o processo de zoneamento das propriedades e a elaboração do Cadastro Ambiental Rural (CAR), que é uma condição indispensável para a regularização de imóveis rurais.

A ferramenta Sigweb permite aos internautas e particularmente aos agricultores que participam do ‘Semeando Sustentabilidade’ conferirem os resultados das ações de reflorestamento e acessarem uma série de dados das áreas trabalhadas, como os nomes dos proprietários dos lotes, as medidas e a localização dos mesmos, entre outras informações. A ferramenta também disponibiliza o traçado de estradas e rodovias, corpos de água e as unidades de conservação da área de atuação do projeto.

Os dad
os produzidos em campo e por meio da análise de imagens de satélite no laboratório do CES RIOTERRA são constantemente incorporados ao SIGWEB. A possibilidade de interação que o sistema disponibiliza por meio de camadas, ferramentas de medição, entre outras, permite que o usuário utilize as diversas informações contidas na plataforma de forma integrada ou de acordo com o interesse da consulta.

O Sigweb é alimentado com imagens de diversos satélites disponibilizados pelo Google Earth.

Clique na imagem abaixo para acessar o SIGWEB.

0
Cartilha aborda as mudanças climáticas e a agricultura familiar na Amazônia

Cartilha aborda as mudanças climáticas e a agricultura familiar na Amazônia

O Centro de Estudos (CES) Rioterra disponibiliza essa semana, on line,  cartilha sobre mudanças climáticas e seus impactos na Amazônia. O acesso pode ser feito aqui no site do projeto neste link. O projeto é patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental com o objetivo de desenvolver ações de combate e mitigação às alterações climáticas através da fixação de carbono e fortalecimento da agricultura familiar, a partir da difusão de técnicas agrícolas sustentáveis que permitam uma maior rentabilidade e impeçam o avanço sobre áreas florestadas na região.

A cartilha é ilustrada de forma a facilitar o entendimento de informações e conceitos importantes para a compreensão dos fenômenos decorrentes das mudanças climáticas e as causas dos mesmos, podendo ser utilizada por diversos públicos, como estudantes, agricultores e outras pessoas interessadas no assunto.

O trabalho destaca a importância da região amazônica, que guarda a maior biodiversidade do planeta, possui a maior quantidade de rios de água doce no planeta, exerce importante papel na regulação das chuvas no continente e auxilia na absorção de dióxido de carbono, principal gás causador do efeito estufa de origem antrópica (causada por atividades humanas).

A publicação também aborda a necessidade de adoção de técnicas sustentáveis pelos agricultores, como as agroecológicas e os benefícios que o reflorestamento de áreas degradadas pode trazer com a utilização dos Sistemas Agroflorestais (SAFs). Essa técnica usada na recuperação tem se mostrado viável para a região por representar como uma alternativa lucrativa para o uso de áreas abandonadas, consorciando espécies florestais e culturas rentáveis para os produtores.

Com o nome de ‘Mudanças Climáticas e a Agricultura Familiar na Amazônia’, a cartilha está disponível para download no link abaixo:

Clique para baixar a cartilha

 

0
SEMEANDO SUSTENTABILIDADE AMPLIA ÁREAS DE REFLORESTAMENTO EM 2016

SEMEANDO SUSTENTABILIDADE AMPLIA ÁREAS DE REFLORESTAMENTO EM 2016

Entidade viabiliza reflorestamento de Áreas de Preservação Permanente e Reservas Legais no entorno da Floresta Nacional do Jamari, em Rondônia.plantio

O Centro de Estudos (CES) Rioterra, responsável pela execução do projeto Semeando Sustentabilidade patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental, encerra 2016 com a perspectiva de ampliar o trabalho de recuperação de áreas degradadas em Rondônia no próximo ano. A motivação se dá pela grande procura para recuperação de Áreas de Preservação Permanente (APPs) e Reservas Legais (RLs) e pelo sucesso nos plantios já realizados, o que rendeu à entidade a posição de maior reflorestadora d e Rondônia. Todos esses trabalhos têm como objetivo apoiar o processo de regularização ambiental das propriedades rurais e de mudar a visão dos agricultores familiares sobre a importância da passagem do atual modelo produtivo para uma agricultura de baixo carbono.

“A região passou a ser ocupada nas décadas de 1980 e 1990, quando o proprietário era levado a desmatar boa parte de sua área para garantir a posse. Hoje a principal atividade rural na região é a pecuária e há a necessidade de recuperar as áreas degradadas em APPs e RLs para garantir sustentabilidade ambiental e adequação ao Código Florestal, demandas que a Rioterra está empenhada a apoiar”, explica o coordenador de projetos da entidade, Alexis Bastos.

heron
Heron da Silva Santos – Agricultor – Itapuã do Oeste-RO

“Naquela época, a gente tinha a preocupação de derrubar pelo menos 50% para prosperar, pois era o certo. O próprio governo exigia que desmatássemos. Mas o tempo acaba ensinando para a gente que nem tudo estava correto e a forma que encontrei para consertar o que estava errado veio da Rioterra, que me ajudou a recuperar a mata ciliar que passa por minha propriedade”, relata o produtor Heron da Silva Santos, mineiro que migrou para Rondônia em 1984.

Em 2016, o Viveiro Municipal de Itapuã do Oeste, aumentou sua capacidade para produção de mudas nativas e também investiu no café clonal, criando a perspectiva de ampliação de áreas recuperadas com sistemas agroflorestais (SAFs) na região em 2017.

Ana Aranda – DRT/RO 016 – assessoria de imprensa da Rioterra

0