Até sexta-feira (29) mutirão em Cujubim realiza o CAR gratuitamente

Até sexta-feira (29) mutirão em Cujubim realiza o CAR gratuitamente

Produtores rurais que ainda não fizeram a regularização ambiental de suas propriedades precisam se apressar, o prazo final determinado pelo Governo Federal para a inscrição no Cadastro Ambiental Rural (CAR) é o dia 05 (cinco) de maio de 2016.

Para apoiar agricultores familiares que ainda não fizeram o CAR, em Cujubim, uma equipe inter institucional, formada por técnicos do Centro de Estudos Rioterra, SEDAM e Emater realizam mutirão de cadastramento na sede da Prefeitura, até sexta-feira, dia 29.

O atendimento aos agricultores ocorre das 8h às 12h e das 14h às 18h. “Buscamos formas alternativas para promover o desenvolvimento econômico nesses municípios e o CAR é uma de nossas ações. Apoiar a agricultura familiar na transição de um modelo de exploração florestal com muita emissão de carbono para um modelo de agricultura sustentável de baixa emissão é nosso compromisso”, afirmou Alexis Bastos, coordenador do Projeto Semeando Sustentabilidade patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental, realizado pelo CES Rioterra.

Fazer o cadastro é simples e gratuito para produtores que se enquadram na agricultura familiar. Basta se dirigir ao mutirão com os documentos: RG, CPF e certidão de nascimento do proprietário da terra; comprovante de posse ou propriedade do imóvel; as coordenadas geográficas e o mapa da área.

O cadastro é obrigatório para todas as propriedades e posses rurais e oferece muitos benefícios. Entre eles, acesso ao licenciamento ambiental e à políticas públicas como crédito rural, linhas de financiamento e isenção de impostos para insumos e equipamentos.

Agricultura Familiar

Se enquadram na agricultura familiar propriedades que possuem até 04 (quatro) módulos fiscais. Em Rondônia 01 (um) módulo fiscal equivale a 60 ha (sessenta hectares), logo, 04 (quatro) módulos fiscais equivalem a 240 ha (duzentos e quarenta hectares). Portanto, em Rondônia o cadastramento é gratuito para produtores (as) rurais que possuam propriedades ou posses rurais de até 240 ha (duzentos e quarenta hectares), para imóveis rurais maiores que 240 ha (duzentos e quarenta hectares), o cadastro deverá ser feito exclusivamente por meio de contratação particular de responsável técnico.

Mais informações na sede do Centro de Estudos Rioterra através do telefone/e-mail 69-32236191/ felipe@rioterra.org.br ou no Viveiro Municipal de Itapuã do Oeste 69-32312583.

0
PROJETO SEMEANDO SUSTENTABILIDADE ESTIMULA CRIAÇÃO DE HORTA ESCOLAR

PROJETO SEMEANDO SUSTENTABILIDADE ESTIMULA CRIAÇÃO DE HORTA ESCOLAR

O CES Rioterra realizou nos dias 5, 6, 7 e 8 de abril, o curso “Construção de Horta Escolar Comunitária” na Escola Municipal de Ensino Fundamental Cecília Meirelles, na Linha B40, área rural de Itapuã do Oeste. A ação que faz parte do projeto Semeando Sustentabilidade, patrocinado pela Petrobras através do programa Petrobras Socioambiental, envolveu 83 alunos além de professores, funcionários e pais dos estudantes.
“Trabalhamos a interdisciplinaridade com conteúdo teórico e aplicação prática buscando o desenvolvimento integral dos participantes. Abordamos questões sobre segurança alimentar e valor nutricional, temas do ensino de Ciências; a Matemática com formas geométricas e cálculos na construção dos canteiros; e noções de Arte na confecção de cartazes com desenhos, colagens e pinturas”, explicou Alexandre Queiroz, responsável pelo Eixo Produção Sustentável do Setor Educação.
Para os participantes, a ação também tem um importante valor econômico. “A produção dessa horta será para a merenda escolar. Com isso, vamos economizar os recursos públicos e direcioná-los para a compra de alimentos diferenciados”, acrescentou Luciana Monteiro da Silva, diretora da E.M.E.F Cecília Meirelles.
“Na próxima etapa da ação finalizaremos os canteiros e daremos início ao plantio utilizando conceitos e práticas agroecológicas”, finalizou Queiroz.

0
Em Dia de Campo, alunos da UNIR conhecem projeto “Semeando Sustentabilidade”

Em Dia de Campo, alunos da UNIR conhecem projeto “Semeando Sustentabilidade”

Acadêmicos e professores do curso de Engenharia Ambiental da Universidade Federal de Rondônia – UNIR, Campus de Ji-Paraná, participaram no último sábado (23), de uma visita ao “Semeando Sustentabilidade”. O projeto, patrocinado pela Petrobras através do programa Petrobras Socioambiental, é executado pelo Centro de Estudos Rioterra para apoiar o desenvolvimento da agricultura familiar de forma ambientalmente sustentável nos municípios de Itapuã do Oeste, Cujubim e Rio Crespo.

O dia de campo teve início com uma visita à Floresta Nacional do Jamari para conhecer de onde são coletadas as sementes utilizadas na produção de mudas do projeto. Os alunos percorreram a trilha da Pedra Bonita, aprenderam sobre como é feito o processo de identificação e marcação das 500 matrizes (árvores de onde são extraídas as sementes), a coleta e o transporte das sementes.

“Durante a visita fizemos discussões sobre aspectos de conservação da biodiversidade, uso e ocupação do solo na Amazônia e como é possível produzir aliando conservação e desenvolvimento econômico, observando questões ligadas à fixação de carbono, mudanças climáticas e seus impactos para Amazônia e o papel da agricultura nestas questões”, explicou Alexis Bastos, coordenador de Programas do CES Rioterra.
Após essa atividade, os estudantes foram para o Viveiro Municipal de Itapuã do Oeste, local onde é feito o beneficiamento das sementes e a produção de mudas. “Acompanhar como é feito esse trabalho na prática, as questões técnicas e estruturais de produção e manutenção do espaço, foi o que eu achei mais interessante. Na Universidade estudamos mais teoria e conceitos, e vivenciar a prática dá um gosto a mais para trabalhar”, comentou a aluna Luciana Coriolano dos Santos.

O dia de campo terminou em uma propriedade rural atendida pelo projeto com recuperação de áreas degradadas. Os alunos puderam observar o desenvolvimento das espécies plantadas há cinco anos. “Há muitas espécies de considerável porte lenhoso, sem contar espécies que surgiram espontaneamente, o que aumenta, por exemplo, a diversidade biológica do ambiente. Outra diferença notável é o solo da área onde houve recuperação para os que estão sob pastagem. É evidente a incorporação de matéria orgânica onde os solos foram recuperados”, disse Janaína D. Alves, educador do CES Rioterra.

Ao final da tarde os alunos participaram de uma roda de diálogo para avaliar o dia e sorteio de brindes.

0
ONU lança campanha “Árvores pela Terra”

ONU lança campanha “Árvores pela Terra”

A campanha “Árvores pela Terra” foi criada para celebrar acordo do clima

O Programa da ONU para o Meio Ambiente (Pnuma) está em contagem regressiva para a assinatura do Acordo de Paris sobre a Mudança Climática. O documento será assinado oficialmente pelos líderes mundiais em 22 de abril, que é o Dia Internacional da Terra.
Para sensibilizar sobre a relevância do tema e engajar mais pessoas, o Pnuma criou a campanha “Árvores pela Terra”. A agência está pedindo que as pessoas façam pelo menos uma entre as seguintes opções: plantar uma árvore, abraçar uma árvore ou tirar uma foto de sua árvore favorita.
As imagens das ações podem ser postadas no Facebook ou no Twitter, usando as hashtags #ParisAgreement, #Trees4Earth e #EarthDay2016.
Neste ano, o Dia da Terra promove uma meta: que exista uma árvore para cada habitante do planeta até 2020. Com a campanha, o Pnuma quer mobilizar os 7 bilhões de habitantes do planeta a plantarem uma árvore, para que a meta seja alcançada o quanto antes.
Em Rondônia, ações de estímulo à conservação da Amazônia são realizadas há mais de 15 anos pelo Centro de Estudos Rioterra. Nos projetos Semeando Sustentabilidade, patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental, e do Quintais Amazônicos, com apoio financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) através do Fundo Amazônia, por exemplo, mais de 1,4 milhão de mudas de árvores foram produzidas e doadas para recuperação de áreas degradadas.

Objetivos da campanha

Segundo a agência da ONU, a campanha “Árvores pela Terra” foi escolhida para promover a assinatura do Acordo de Paris pela importância das florestas como aliadas no combate à mudança climática e na restauração do balanço ecológico do planeta.
As florestas também são cruciais para absorver carbono, limpar o ar, manter o fluxo dos rios e estabilizar os solos. Árvores também ajudam a reciclar nutrientes para a agricultura e servem de habitat para várias espécies de animais.
A secretária-executiva da Convenção da ONU sobre Mudança Climática, Christiana Figueres, afirmou que “plantar, abraçar ou fotografar uma árvore vai marcar a assinatura do Acordo de Paris e uma forma de expressar solidariedade, amor e esperança”.
O acordo, que passa a valer em 2020, prevê que os países implementem ações para conter a emissão de gases que causam o efeito estufa e assim, evitar o aumento da temperatura média do planeta.

Fonte: Rádio ONU.

0