CES Rioterra realiza curso gratuito de Geotecnologia

CES Rioterra realiza curso gratuito de Geotecnologia

INTER03Centro de Estudos Rioterra realizou nos dias 20, 21 e 22 de março, na sede da instituição em Porto Velho, um curso gratuito de “Geotecnologia Aplicada à Gestão e Ordenamento Territorial” para catorze participantes entre acadêmicos de Biologia e Engenharia Florestal, funcionários de secretarias municipais de meio ambiente e de instituições não governamentais dos municípios de Cacoal, Ouro Preto, Cujubim e Porto Velho.

“O curso foi muito interessante, pois conseguimos chegar em pessoas que realmente precisam dessas ferramentas para realizar melhor seus trabalhos. Para democratizar o acesso às informações e proporcionar mais independência às instituições, utilizamos ferramentas e softwares livres e mostramos como ter acesso gratuito a dados oficiais”, analisou Fabiana Gomes, professora do curso e coordenadora do Laboratório de Geoprocessamento e Monitoramento da Paisagem do CES Rioterra.

O curso teve início com a apresentação de conceitos básicos sobre geoprocessamento, sensoriamento remoto e SIG – Sistema de Informações Geográficas. As atividades práticas proporcionaram aos alunos acesso à dados oficiais disponibilizados principalmente por instituições públicas, e o aprendizado de ferramentas para manipular e interpretar esses dados como subsídios para monitorar áreas e fazer planejamento de ações e políticas públicas.

INTER01

“Por exemplo, eles aprenderam a utilizar uma imagem de satélite para fazer a interpretação de uma determinada área de desmatamento. Analisar seu avanço, marcar a localização geográfica exata e poder elaborar ações mitigadoras”, explicou Luiz Felipe Ulchôa, professor do curso e técnico de geoprocessamento do CES Rioterra.

“Eu tinha muita dificuldade em interpretar mapas e identificar os elementos nele a partir de cores como o curso de águas e focos de calor. No curso conheci ferramentas para isso ”, conta a estudante de Biologia e pesquisadora voluntária do Programa de Conservação do Gavião Real, em Cacoal, Tatiane Costa.

“Há muito tempo eu queria fazer esse curso, mas é difícil ter em Rondônia e é muito caro. As práticas que aprendi aqui serão muito úteis no meu trabalho”, afirma Andrei Vinícius de Souza, funcionário da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Cujubim.

INTER02

No último dia, os alunos produziram materiais cartográficos (mapas temáticos) e cartas imagem. “Coletamos dados em campo pelo GSP e em aplicativos, manipulamos esses dados para transformá-los nesses produtos. A proposta foi mostrar aos alunos que eles mesmos podem criar seus próprios dados e produtos para monitorar e analisar informações das regiões onde atuam”, concluiu Abimael Ribeiro de Souza, professor do curso e técnico de geoprocessamento do CES Rioterra.

0