Alunos de Pimenta Bueno visitam o projeto.

DSC01351-2

Sexta feira, dia 01 de novembro, alunos e professores do programa Ensino Médio Inovador da Escola Marechal Cordeiro Farias, do município de Pimenta Bueno, visitaram o projeto “Semeando Sustentabilidade”, em Itapuã do Oeste.

Os visitantes foram recebidos no Viveiro municipal, onde assistiram palestras e vídeos referentes a atividades desenvolvidas pelo projeto junto à comunidade rural de Itapuã do Oeste e Cujubim. Discutiram também sobre os assuntos que mais lhes chamaram atenção como, por exemplo, atuação de ONGs no estado de Rondônia, sequestro de carbono, sistemas agroflorestais, assistência técnica rural, educação ambiental, entre outros.

No  período da tarde, os alunos foram conhecer a FLONA (FLOresta NAcional) do Ja mari, onde fizeram uma trilha pela floresta e viram como e onde são coletadas as sementes utilizadas para produzir as mudas do projeto.  Logo após essa atividade voltaram ao viveiro para receber da equipe de colaboradores do local orientação sobre a produção e doação dessas mudas aos produtores rurais que aceitam recuperar áreas degradadas dentro de suas propriedades.

Atividades como essa são realizadas com o apoio do CES Rioterra e patrocinadas pela Petrobras através do programa Petrobras Ambiental. Se você tem interesse em fazer uma visita ao projeto, mande um e-mail para rioterra@rioterra.org, ou ligue para (69) 3223-6191.

0

CARBONO ESTOCADO EM ÁREAS RECUPERADAS COMEÇA A SER INVENTARIADO EM RONDÔNIA

DSC_5935Técnicos do Centro de Estudos Rioterra, Universidade Federal de Rondônia (UNIR) e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) iniciaram esta semana, sob a coordenação do pesquisador da Universidade Federal do Paraná, Dr. Carlos Roberto Sanquetta, representante do Brasil para questões florestais junto ao IPCC (Painel Intergovernamental para Mudanças Climáticas/ONU), os trabalhos de monitoramento da estocagem de carbono nos experimentos de recuperação de áreas implantadas pelo CES Rioterra executora do projeto Semeando Sustentabilidade patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental. 

A ação é inédita no estado e visa gerar dados para uma lacuna existente nas pesquisas sobre  recuperação de áreas alteradas na Amazônia: saber o quanto estas áreas estão contribuindo para o processo de retirada de carbono da atmosfera e, consequentemente, em que medida podem ser usadas para manutenção do “equilíbrio” climático do planeta.

Nesta primeira etapa da pesquisa foram realizadas discussões conceituais para a compreensão e nivelamento de métodos a serem aplicados nas medições. Os técnicos também foram a campo para visitar áreas experimentais nos municípios de Itapuã do Oeste e Cujubim e implantar parcelas que serão usadas no inventário.

Segundo Sanquetta, a realização do inventário de carbono para este tipo de atividade é complexo, pois depende de muitas variáveis, inclusive de estudos preliminares sobre o tipo de manejo aplicado anteriormente nas áreas e conhecimento de todos os processos envolvidos na etapa de implantação dos experimentos de recuperação, para citarmos alguns. Estas informações são fundamentais para os critérios levados em conta para definir o que entrará nos cálculos, completou.

Além das pesquisas, as atividades serviram para aproximar outros projetos que atuam na linha de fixação de carbono em Rondônia, como o “Viveiro Cidadão”, desenvolvido pela Ação Ecológica Guaporé – Ecoporé na região de Rolim de Moura.

Novas atividades estão previstas para o início de 2014, inclusive um seminário que será realizado em Porto Velho e contará com a participação de entidades de várias partes da Amazônia que atuam no desenvolvimento de ações e pesquisas ligadas ao tema.

0