Divulgada lista das aves que habitam a Flona do Jamari

gaviao_real

Thaís Alves
thais.lima@icmbio.gov.br

Brasília (10/02/2012) – Acaba de ser divulgado a listagem preliminar da avifauna (aves) que habita o interior e entorno da Floresta Nacional (Flona) do Jamari, em Rondônia. O inventário, coordenado pela mestranda da Universidade Federal do Acre, Daniella Pereira Fagundes França, mostra que na localidade são encontradas espécies importantes sob o ponto de vista da conservação e endemismo no bioma Amazônia como, por exemplo, o gavião-real (Harpia harpyja).

Criada em 1984 com área estimada em 222.000 hectares, a Flona do Jamari abriga uma importante biodiversidade de fauna na região e é considerada uma das três áreas mais importantes para conservação de aves no estado. A listagem preliminar das aves de bordas de mata e áreas degradadas tem o objetivo de contribuir para o Plano de Manejo da unidade de conservação e, ainda, servir de estímulo a novos inventários na floresta.

Segundo Marco Antônio de Freitas, analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) que participou dos estudos, o levantamento pode ser visto como fonte de informação para compreender a riqueza da região, o grau de endemismo regional e detectar a presença de espécies estenóicas (que vivem em ambientes conservados e que dependem deste tipo de habitat protegido para viver) e suas exigências quanto à qualidade e estrutura dos habitats, além de espécies cinegéticas (utilizadas na alimentação, ornamentação e ameaçadas de extinção).

O inventário foi efetuado em duas campanhas. A primeira no período de 2 a 8 de setembro de 2005 e contou com a captura de aves através de redes de neblina além de pontos de observação. A segunda foi realizada entre os dias 3 e 7 de setembro de 2010. Neste caso, a metodologia utilizada foi a observação direta das aves por meio de binóculos e registros fotográficos e, ainda, vocalização típica.

No primeiro inventário realizado em 2005 foi constatado uma diversidade de 145 espécies de aves registradas em uma área e foram amostrados ambientes florestais, mas sob influência dos efeitos de borda da mineração de estanho que opera na Flona desde o início da década de 80. No último inventário a listagem subiu para 163 espécies, 17 espécies a mais que o inventário anterior, mesmo o trabalho sendo enfocado mais nas aves de borda e áreas degradadas da área de mineração.

O inventário de aves mais próximo da Flona já realizado registrou 220 espécies de aves para a região da Usina Hidroelétrica de Samuel localizada mais ao norte da Flona. As espécies encontradas na área de borda, trechos de matas e áreas degradadas do entorno da mineração podem ser caracterizadas pela vulnerabilidade ao tráfico de animais, aves de importância cinegética, endemismo do oeste da Amazônia ou por exigir ambientes mais conservados.

SERVIÇO:

O artigo com a listagem encontra-se disponível na Revista Atualidades Ornitológicas On-line n° 164, sendo disponibilizado no site www.ao.com.br.

Comunicação ICMBio
(61) 3341-9280

0

AGRICULTORES FAMILIARES APRENDEM A PRODUZIR DOCUMENTÁRIOS

agricultores_familiares

Aconteceu entre os dias 6 e 10 de fevereiro, na sede do centro de Estudos Rioterra, a capacitação para produção áudio visual destinada a agricultores familiares. A atividade faz parte do projeto “Quem Fez Bem Gosta e Quer Mostrar – As Boas Práticas do PDA em Rondônia”, proposto pelo Centro de Estudos Rioterra, associações RECA, Grama e FETAGRO e Delegacia Federal de Desenvolvimento Agrário/DFDA/RO, aprovado em 2011 junto a Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável/MMA.

O projeto tem como objetivo divulgar as boas práticas de agricultura familiar nos municípios que fazem parte do programa Arco Verde a partir das experiências de associações que acabaram com o uso de queimadas em suas atividades produtivas. Essas experiências farão parte de um livro e de um vídeo documentário produzido pelos próprios agricultores.

Ao final dos trabalhos representantes das associações RECA, Grama e Fetagro visitarão os municípios de Pimenta Bueno, Machadinho do Oeste, Porto Velho, Nova Mamoré e Ji-Paraná (único município contemplado que não está no programa Arco verde) para apresentar o vídeo produzido e participar de rodas de conversas com gestores públicos e produtores destas localidades para que sejam incentivadas políticas públicas de combate ao uso ilegal de queimadas.

0

Agricultores familiares produzem documentário

foto_materia_documentario

Os agricultores familiares das associações RECA, Grama e Fetagro realizaram nos meses de fevereiro o março os trabalhos de documentação que comporão o vídeo do projeto “Quem Fez Bem Gosta e Quer Mostrar – As Boas Práticas do PDA em Rondônia”, proposto pelo Centro de Estudos Rioterra, Delegacia Federal de Desenvolvimento Agrário/DFDA/RO e entidades citadas à Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável/MMA.

O projeto tem como objetivo divulgar as boas práticas de agricultura familiar nos municípios que fazem parte do programa Arco Verde a partir das experiências de associações que acabaram com o uso de queimadas em suas atividades produtivas. Essas experiências farão parte de um livro e de um vídeo documentário produzido pelos próprios agricultores. O projeto foi proposto com o intuito de se construir um olhar para experiências realizadas na Amazônia de “agricultor para agricultor” e não de técnicos para agricultores.

Durante as atividades de produção áudio visuais membros de cada instituição estiveram nas demais entidades parcerias a fim de registrar as seguintes “boas práticas”: uso de sistemas silvipastoris implementados pela Fetagro na região central do estado; a produção oriunda da fruticultura pela associação Grama e o trabalhos de organização social construídos pelo Reca.

Ao final da etapa de edição e impressão dos livretos representantes das associações RECA, Grama e Fetagro visitarão os municípios de Pimenta Bueno, Machadinho do Oeste, Porto Velho, Nova Mamoré e Ji-Paraná (único município contemplado que não está no programa Arco verde) para apresentar o vídeo e participar de rodas de conversas com gestores públicos e produtores destas localidades para que sejam incentivadas políticas públicas de combate ao uso ilegal de queimadas. Essa ação está prevista para o segundo semestre de 2012.

0

Petrobras faz descoberta de óleo e gás na Amazônia

A Petrobras comunica a descoberta de uma nova acumulação de óleo e gás na Bacia do Solimões, Bloco SOL-T-171, Estado do Amazonas.

A descoberta ocorreu durante a perfuração do poço 1-BRSA-961-AM, informalmente conhecido como Leste do Igarapé Chibata. Localizado no Município de Coari, a 25 km da Província Petrolífera de Urucu, o poço foi perfurado a profundidade final de 3.295 metros.

Os testes realizados indicaram capacidade de produção diária de 1.400 barris de óleo de boa qualidade (41º API) e 45 mil m3 de gás, na Formação Juruá.

Este é o segundo sucesso exploratório no Bloco SOL-T-171, onde já está em andamento, desde 2010, o Plano de Avaliação da Descoberta do poço 1-BRSA-769-AM, informalmente conhecido como Igarapé Chibata.

Se for confirmada a viabilidade econômica das descobertas, será criado um novo polo produtor de petróleo e gás natural na Bacia do Solimões.

A Petrobras é detentora de 100% dos direitos de exploração e produção na concessão. A companhia produz, diariamente, no Estado do Amazonas, 53 mil barris de óleo e 11 milhões de m3 de gás natural por dia, além de 1,3 mil ton/dia de GLP.

Clique aqui para ver a localização da descoberta.

Gerência de Imprensa/Comunicação Institucional
Telefone: 55 (21) 3224-1306 e 3224-2312
Plantão: 55 (21) 9921-1048 e 9985-9623
Fax: 55 (21) 3224-3251
imprensa@petrobras.com.br

0