ECOLOGIA DA FLORESTA POSSIBILITA ACESSO A JOVENS UNIVERSITÁRIOS DO ENTORNO DA FLONA DO JAMARI

ecologia_da_floresta

O curso ministrado pelo Centro de Estudos Rioterra sobre Ecologia da Floresta, possibilitou a 21 alunos universitários dos cursos de Gestão Ambiental, Biologia, Engenharia Florestal, Geografia e Zootecnia, residentes nos municípios de Itapuã do Oeste, Cujubim e Candeias do Jamari, o contato com pesquisas de ponta sobre fixação de carbono e atividades econômicas realizadas na Floresta Nacional do Jamari.

A formação teve como objetivo possibilitar aos estudantes acesso a conhecimentos que estão ligados ao cotidiano destas profissões e que não estão previstos nos projetos pedagógicos do referidos cursos.

O trabalho foi divido em dois módulos. O primeiro, realizado entre os dias 11 e 13 de junho, teve como foco discussões sobre gestão socioambiental e interações entre homem, meio físico e fauna junto a floresta. O segundo módulo, ocorrido entre 24 e 26 de junho, foi fortemente voltado para práticas de campo. Os alunos puderam conhecer o que é um plano de manejo de uso múltiplo, visitaram a áreas de concessão florestal da empresa Amata para aprender sobre manejo florestal madeireiro e acompanhar as atividades do projeto Semeando Sustentabilidade, com demonstrações do processo de marcação de matrizes e coleta de sementes, produção de mudas no Viveiro Municipal e plantio nas áreas alteradas em matas ciliares.

“A receptividade dos alunos superou nossa expectativa” disse Emanuel Meirelles, coordenador de Educação do projeto. “Estudamos a possibilidade de realizar novamente esta formação para alunos de Porto Velho no próximo ano”.

Ministraram aulas profissionais do ICMBio, UNIR e Centro de Estudos Rioterra.

0

TEMPERATURA DE RONDÔNIA PODE ELEVAR 7ºC, DESTACA PESQUISADOR DO INPA

foto_seminario_01

O doutor Charles R. Clement, pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), foi o palestrante da abertura do Seminário “Perspectivas Florestais para Conservação da Amazônia”. Dr. Clement falou sobre economia verde e o desenvolvimento sustentável a partir de diversos usos da biodiversidade para manter a cobertura florestal. Estudos mostram que poderá haver aumento de 7ºC na temperatura de Rondônia até o ano de 2100, revelou o pesquisador.

O evento acontece no auditório da Unir-Centro, em Porto Velho, nos dias 11 e 12 julho, promovido pelo Centro de Estudos Rioterra e Universidade Federal de Rondônia (Unir). Pesquisadores florestais e ambientais são os debatedores sobre alternativas para o desenvolvimento regional.
Em sua palestra, Clement destacou a falta de governança e os baixos investimentos em pesquisas como barreiras para o futuro da Amazônia. Destacou como alternativas de uso da biodiversidade o manejo florestal, silvicultura, fruticultura e agro-energia, produtos florestais não madeireiros, bioprospeccão e o ecoturismo.

Após a palestra, o geógrafo Alexis Bastos apresentou o Projeto Semeando Sustentabilidade, realizado pelo Centro de Estudos Rioterra, patrocinado pela Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental. Bastos falou sobre os objetivos, área de atuação, apresentou as ações e resultados por eixos temáticos.

Outras palestras acontecem durante todo o dia 12 (terça-feira).

0

LANÇAMENTO DE CARTILHA SOBRE A FLONA DO JAMARI MOVIMENTA SEMANA DO MEIO AMBIENTE EM ITAPUÃ

cartilha

O lançamento da Cartilha “Floresta Nacional do Jamari – Conservação e Sustentabilidade” marcou a abertura da Semana do Meio Ambiente em Itapuã do Oeste. O ato aconteceu na noite de segunda-feira (30), no auditório da Escola Municipal Dr. Custódio com a presença de estudantes, professores e entidades parceiras. Uma programação especial foi planejada em alusão a Semana do Meio Ambiente com mostras de vídeos, palestras e varal fotográfico. As atividades serão realizadas até o dia 3 de junho.

Além das ações nas escolas, diariamente estudantes do município farão visitas ao Viveiro Municipal e à Floresta Nacional (Flona) do Jamari, conhecendo as ações de combate as mudanças climáticas do Projeto Semeando Sustentabilidade realizado pela Rioterra, patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Ambiental.

O objetivo das ações é mostrar a importância da preservação da Flona do Jamari e como utilizar os recursos naturais de forma sustentável para manutenção dos serviços ambientais que a floresta presta, fundamentais na economia local, que tem como base o uso destes recursos.

Nas escolas, a equipe de Educação Ambiental da Rioterra apresenta vídeos e painéis fotográficos destacando temas sobre resíduos sólidos, aquecimento global, controle das queimadas e a importância da água. Além da cartilha da Flona, diversos materiais impressos são distribuídos para orientar a comunidade.

Segundo Alexis Bastos, coordenador geral do Projeto Semeando Sustentabilidade, a Cartilha da Floresta Nacional do Jamari é um instrumento educacional valioso para conscientizar a população sobre a importância desta unidade de conservação como bem comum que deve cumprir suas funções sociais, ambientais, econômicas e culturais para as quais foi criada.

O chefe da Flona do Jamari, Carlos Renato, destacou que a cartilha é um excelente produto editorial para a divulgação das ações do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade/ICMBio e das ações da Flona. “A cartilha está completa. Aborda importantes temas e é uma excelente maneira de passar as informações com qualidade”, destacou.

0