Festa de aniversário movimenta Itapuã do Oeste

foto_aniversario_itapua

O décimo nono aniversário de Itapuã foi muito comemorado e festejado pela população e pelos seus representantes tanto no Executivo quanto no Legislativo. Compareceram ao evento vereadores da cidade, o Vice-Prefeito e o Prefeito João Testa (PMDB), que no uso da palavra no palco parabenizou o município pelos seus dezenove anos de emancipação, e agradeceu mais uma vez a todos que os ajudaram e o ajudam na administração, falou da importância de um evento como esse, pois demonstra a alegria que a população ainda tem diante de tantas dificuldades.

A Festa, que acontece todos os anos, pôde esse ano contar com o sorteio de dezenove brindes surpresas. Foram distribuídas rifas para quem estava presente na celebração. Aproximadamente três mil pessoas compareceram a festa.

Minutos antes do inicio do evento foi feito uma carreata com toda a frota de veículos adquiridos nos últimos dois anos de mandatos, entre eles: 07 ônibus escolares sendo 01 para uso exclusivo para agentes de saúde, 01 motocicleta, um trator, 01 veículo modelo UNO, 02 caminhonetes 01 voadeira com motor barco e 01 ambulância.

O prefeito João Testa aproveitou a oportunidade e assinou em público as 03 ordens de serviço para construção da creche municipal, construção do auditório municipal e recuperação da iluminação pública do município, mais precisamente da Rua Airton Sena e Avenida Castelo branco.

Após o sorteio dos brindes, a agitação ficou por conta da Banda Ari Santos e os Recampados, que animou a festa.

Foi possível ver nos rostos das pessoas a alegria em prestigiar o evento, famílias inteiras compareceram. Com a atenção das autoridades policiais da cidade, tudo ocorreu dentro da mais plena paz.

Geize Fernandes

0

DETER indica 135 km² de desmatamentos na Amazônia no último bimestre de 2010

Nos meses de novembro e dezembro foram verificados 135 km² de desmatamentos pelo DETER, sistema de alerta baseado em satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) que verifica a ocorrência de corte raso ou degradação progressiva na Amazônia Legal.

Entre novembro e abril, que consiste na época de chuvas na Amazônia e se torna mais difícil a observação por satélites devido à intensidade de nuvens que cobrem a região, o INPE divulga os resultados do DETER agrupados por bimestre. Entretanto, é importante salientar que o sistema mantém durante todo o período sua operação regular, com o envio de dados a cada quinzena ao Ibama.

Na tabela abaixo, a distribuição por Estado do desmatamento verificado no bimestre novembro/dezembro de 2010.

Em função da cobertura de nuvens variável de um mês para outro e, também, da resolução dos satélites, os dados do DETER não representam uma avaliação fiel do desmatamento mensal da floresta amazônica. Por estes motivos o INPE não recomenda a comparação entre dados de diferentes meses e anos.

O sistema registra tanto áreas de corte raso, quando os satélites detectam a completa retirada da floresta nativa, quanto áreas classificadas como degradação progressiva, que revelam o processo de desmatamento na região.

Em operação desde 2004, o DETER é um sistema de alerta para suporte à fiscalização e controle de desmatamento. Embora os dados sejam divulgados em relatórios mensais ou bimestrais, os resultados do DETER são enviados a cada quinzena ao Ibama, responsável por fiscalizar as áreas de alerta.

Como o DETER utiliza dados do sensor MODIS do satélite Terra, com resolução espacial de 250 metros, é possível detectar apenas polígonos de desmatamento com área maior que 25 hectares. O INPE reitera que nem todos os desmatamentos maiores que 25 hectares são identificados pelo sistema, devido à cobertura de nuvens. Contudo, a menor resolução dos sensores usados pelo DETER é compensada pela capacidade de observação diária, que torna o sistema uma ferramenta ideal para informar rapidamente aos órgãos de fiscalização sobre novos desmatamentos.

Os números apontados pelo DETER são importantes indicadores para os órgãos de controle e fiscalização. No entanto, para computar a taxa anual do desmatamento por corte raso na Amazônia, o INPE utiliza o PRODES (www.obt.inpe.br/prodes), que trabalha com imagens de melhor resolução espacial capazes de mostrar também os pequenos desmatamentos.

A cada divulgação sobre o sistema de alerta DETER, o INPE apresenta também um relatório de avaliação amostral dos dados. Os relatórios, assim como todos os dados relativos ao DETER, são públicos e podem ser consultados no site www.obt.inpe.br

Fonte: www.obt.inpe.br

0